sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

OS PRESENTES DO TEMPO

COMEÇO DE ANO SEMPRE ME EVOCA UMA IMAGEM: UM CADERNO NOVO, REPLETO DE FOLHAS EM BRANCO, PRONTAS PARA SEMRE PREENCHIDAS. NESSES DIAS EM QUE TANTO SE RECLAMA DA FALTA DE TEMPO, EM QUE “O ANO ACABA CADA VEZ MAIS RÁPIDO”, ESSE “PENSAR” PARECE SER TÃO PRECIOSO E, SIMULTANEAMENTE, TÃO BANAL. EMBORA SAIBAMOS QUE O REINÍCIO DO CICLO – BEM COMO AS DIVISÕES EM MESES, SEMANAS, DIAS, HORAS, MINUTOS E SEGUNDOS – NÃO PASSE DE UMA CONVENÇÃO NECESSÁRIA, QUE TORNA POSSÍVEL COMPARTILHAR A VIDA EM SOCIEDADE, É NESSA ÉPOCA QUE A MAIORIA DAS PESSOAS AVALIA A FORMA COMO TEM USADO O TEMPO E FAZ PLANOS PARA UTILIZÁ-LO DE MANEIRAS MAIS EFICAZES E SATISFATÓRIAS. É POSSÍVEL QUE TENHA RAZÃO O PACIENTE QUE, CERTA VEZ, RECLINADO NO DIVÃ, CONSTATOU PERPLEXO: “ESTE DIA, ESTA HORA, NÃO VOLTAM MAIS, FORAM PARA SEMPRE!”. A PERCEPÇÃO, APARENTEMENTE ÓBVIA, REVELA A POSSIBILIDADE ÚNICA QUE SE ESCONDE EM CADA INSTANTE.
TENDO A PENSAR QUE, NO FIM DAS CONTAS, MUITO DE NOSSAS EXISTÊNCIAS SE RESUME A UMA (INTRINCADA) QUESTÃO DE TEMPO. A MANEIRA COMO EMPREGAMOS A SEQUÊNCIA DE NOSSAS HORAS RESULTA EM TRANSFORMAÇÕES CONCRETAS: TORNA-SE APRENDIZADO, SE EXPRESSA NO RESULTADO DA FORÇA DE TRABALHO E DA INTELIGÊNCIA QUE EMPENHAMOS NAS MAIS VARIADAS ATIVIDADES, CONSUMA-SE EM ALIANÇAS E VÍNCULOS (AFINAL, CONSTRUIR INTIMIDADE E CULTIVAR AFETO REQUER PERSISTÊNCIA). HÁ FORMA COMO DIA A DIA ESCOLHEMOS VIVER É FUNDAMENTAL PARA QUE NOS TORNEMOS QUEM SOMOS. O QUE PODE NOS FAZER PENSAR NA PRECIOSIDADE DO TEMPO – ALGO, IRONICAMENTE, TÃO VOLÁTIL, QUE MUITAS VEZES ESCAPA, SEM QUE POSSAMOS NOS DAR CONTA DO QUÃO RÁPIDO SE ESVAIU. É CURIOSO QUE A PALAVRA “PRESENTE” SEJA A MESMA USADA PARA DESIGNAR UM BEM, UM DOM RECEBIDO. E É SOBRE AS FACETAS DA TEMPORALIDADE QUE ESTE VEM TRAZER REFLEXÃO. HÁ OS TEMPOS CRONOLÓGICOS, BIOLÓGICOS E FILOGÊNICOS, OS CRONÔMETROS INTERNOS QUE DETERMINAM (À REVELIA DO SUJEITO) OS CICLOS CIRCADIANOS E METABÓLICOS, TEMPOS DE FORMAÇÃO DA MEMÓRIA E DOS ESQUECIMENTOS NECESSÁRIOS, TEMPOS SUBJETIVOS, TEMPOS DO TRAUMA, DO LUTO, DA REPETIÇÃO, DA ELABORAÇÃO. TEMPOS PERDIDOS, RESGATADOS, DESEJADOS, TEMIDOS, VIVIDOS, SONHADOS. EM SUMA, POSSIBILIDADES. COMO AS DE UM CADERNO EM BRANCO.
COMO DIZ A MÚSICA QUE TOCAVA NO RÁDIO, HÁ ALGUMAS HORAS, TALVEZ SEJAMOS TODOS “HÓSPEDES DO TEMPO”. SE FOR ASSIM, QUE A ESTADIA NOS SEJA CONFORTÁVEL.
E QUE 2009 NOS TRAGA MUITOS PRESENTES...

Um comentário:

Felipe disse...

"Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um individuo genial.Industrializou a esperanca, fazendo-a funcionar no limite da exaustao.Doze meses dao para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Ai entra o milagre da renovacao e tudo comeca outra vez, com outro numero e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente."

(Carlos Drumond de Andrade)

Saudades amora!

SABE DA ÚLTIMA!?

SABE DA ÚLTIMA!?
A Fadinha deseja um Ótimo 2011

†.••๋°●Gιℓ●°•๋•.†

Clara [Casimiro de Abreu]
Não sabes, Clara, que pena eu teria se — morena tu fosses em vez de clara!
Talvez... quem sabe... não digo... mas refletindo comigo talvez nem tanto te amara!
A tua cor é mimosa, brilha mais da face a rosa tem mais graça a boca breve.
O teu sorriso é delírio...
És alva da cor do lírio, és clara da cor da neve!
A morena é predileta, mas a clara é do poeta: assim se pintam arcanjos.
Qualquer, encantos encerra, mas a morena é da terra enquanto a clara é dos anjos!
Mulher morena é ardente: prende o amante demente
nos fios do seu cabelo; — A clara é sempre mais fria,
mas dá-me licença um dia que eu vou arder no teu gelo!
A cor morena é bonita, mas nada, nada te imita nem mesmo sequer de leve. — O teu sorriso é delírio...
És alva da cor do lírio, és clara da cor da neve!

☺ VOLTE SEMPRE!! ☻

☺ VOLTE SEMPRE!! ☻
Obrigαdα pєlα visitiиhα!!