sábado, 21 de junho de 2008

Atos provocam Sentimentos


Deixa partir o que não te pertence mais
Deixa seguir o que não pode voltar
Deixa morrer o que a vida já despediu
Abra a porta do quarto e a janela
Que o possível da vida te espera
Vem depressa que a vida
Precisa continuar
O que foi já não serve, é passado
E o futuro ainda está do outro lado
E o presente é o presente
Que o tempo quer te entregar
Fala pra mim, se achares que posso ouvir
Chora ao teu Deus
Se não podes compreender
Rasga este véu do calvário
Que te envolveu
Tão sublime o segredo se esconde
Nesta dor que escurece o horizonte
Que por hora impede
Os teus olhos de contemplarem
O eterno presente no tempo
O ausente presente em segredo
Na sagrada saudade que o deixa continuar
Deixa morrer o que a morte já sepultou
Deixa viver o que dela ressuscitou
Não queiras ter o que ainda não pode ser
É possível crescer nesta hora
Mesmo quando o que amamos
Foi embora
A saudade eterniza a presença
De quem se foi
Com o tempo esta dor se aquieta
Se transforma em silêncio que espera
Pelos braços da vida um dia reencontrar...
Engraçado que, quando estou pensando no que escrever, surgem idéias mirabolantes no meu pensamento, consigo articular palavras e tudo flui com uma facilidade... Mas quando chego aqui pra escrever tudo desaparece com a mesma facilidade que veio.
Hoje o dia não está muito feliz. A semana foi muito complicada pra mim. Vazia, sombria e triste. Mas sei que vai passar, ah vai sim!!
Aí em cima está a letra de uma canção, que pelo menos por hoje, vai falar por mim.
Bom Final de Semana Todos!!
Beijinhos etalados, Gil!!

2 comentários:

Débora disse...

Ei migaaa! Haja criatividade heim p escrever...ihihihiH!!!
Boa semana.
AmÔ!

Débora disse...

Ei migaa!!! Tah lindinho o seu blog...hajaaa criatividade p escrever heim! rs..
tenha uma boa semana
amÔ!

SABE DA ÚLTIMA!?

SABE DA ÚLTIMA!?
A Fadinha deseja um Ótimo 2011

†.••๋°●Gιℓ●°•๋•.†

Clara [Casimiro de Abreu]
Não sabes, Clara, que pena eu teria se — morena tu fosses em vez de clara!
Talvez... quem sabe... não digo... mas refletindo comigo talvez nem tanto te amara!
A tua cor é mimosa, brilha mais da face a rosa tem mais graça a boca breve.
O teu sorriso é delírio...
És alva da cor do lírio, és clara da cor da neve!
A morena é predileta, mas a clara é do poeta: assim se pintam arcanjos.
Qualquer, encantos encerra, mas a morena é da terra enquanto a clara é dos anjos!
Mulher morena é ardente: prende o amante demente
nos fios do seu cabelo; — A clara é sempre mais fria,
mas dá-me licença um dia que eu vou arder no teu gelo!
A cor morena é bonita, mas nada, nada te imita nem mesmo sequer de leve. — O teu sorriso é delírio...
És alva da cor do lírio, és clara da cor da neve!

☺ VOLTE SEMPRE!! ☻

☺ VOLTE SEMPRE!! ☻
Obrigαdα pєlα visitiиhα!!